ACADEMY

FIQUE POR DENTRO
DE NOSSAS NOVIDADES

Diagnóstico de SEO

SEO é marketing! E marketing demanda pesquisa, análise e ação. Por isso, para definir uma estratégia de SEO eficiente, é preciso fazer um estudo de mercado. Neste caso, um diagnóstico de presença orgânica.

Quem acompanha nossos conteúdos já está acostumado com as nossas explicações sobre as características de SEO estar situado entre marketing e tecnologia. Pois então, é assim que colocamos o processo de marketing em prática nos projetos de SEO, iniciando pela etapa de planejamento.

Diagnóstico de presença orgânica

Outro ponto importante de relembrar é que quando falamos de SEO no Brasil, falamos exclusivamente de Google, já que a presença de mercado (market share) é superior a 95%.

Nosso “estudo de mercado”, então, se restringe exclusivamente à presença do site ou da marca nos resultados orgânicos do Google. Mas a estrutura é bastante similar a um estudou ou planejamento de Marketing, salvo esta condição de olhar somente para o Google.

Mapeando adequadamente o mercado, podemos organizar os esforços de projeto de forma mais adequada, com ações específicas para o cenário encontrado, com as devidas prioridades, sempre focando na conquista de resultados.

Análise do cenário interno

É a hora de “olhar para dentro de casa”.

Avaliar os dados históricos da marca ou do site, entender há quanto tempo está no mercado, se está crescendo ou caindo, quais são suas características de sazonalidade, quem é o seu público consumidor, por quais conteúdos e termos se posiciona, como é a qualidade e o engajamento do público com estes conteúdos, entre outras informações.

Em uma análise de tráfego precisamos identificar através de quais canais a empresa vem adquirindo tráfego ao longo dos anos, qual a participação do canal orgânico frente aos outros esforços e quais estratégias têm sido adotadas ao longo do tempo.

Este levantamento acaba sendo bastante robusto e é feito através de diversas ferramentas, como o Google Analytics (GA), Google Search Console (GSC), SEMrush, Moz, Similarweb, e outros mais específicos, em alguns casos.

Análise da concorrência

comparando ela com os principais concorrentes, aqueles que também se posicionam para os mesmos termos, assim disputando a atenção dos usuários.

Neste comparativo, avaliamos a marca e seus concorrentes, aqueles que também se posicionam para os mesmos termos, assim disputando a atenção dos usuários.

Todos são avaliados sob os mesmos critérios, os principais pilares de SEO: Tecnologia, Conteúdo e Reputação (back links).

Pilares de SEO Lume
Pilares de SEO

Este comparativo entre concorrentes é importante porque o ranking no Google é uma posição relativa, e há mercados em que a concorrência é muito forte, como moda, por exemplo, enquanto outros mercados mais nichados ou técnicos podem apresentar uma concorrência mais fraca. Os esforços do projeto de SEO precisam ser alinhados à esta competição de mercado.

Como é a estrutura técnica dos concorrentes? Ótima? Satisfatória? Deficiente? E quais estratégia de conteúdo ele utiliza? Há engajamento nos seus conteúdos? Quem linka para os sites deles? E por que linka? São algumas das perguntas que procuramos responder neste estudo.

Demanda de mercado, ou de buscas no Google

Além da competição, outro ponto importante de ser analisado é a demanda de buscas. Um similar ao “tamanho de mercado” nos estudos de marketing.

Como tudo que é digital pode ser mensurado, temos acesso a muitos dados de comportamento no Google, que nos permitem avaliar o tamanho da demanda, sazonalidade ou quais termos relacionados à marca, serviço, produto, etc., são mais utilizados pelos usuários.

Gráfico de volume de buscas e sazonalidade por grupos de palavras-chave

Outra análise importante nestes gráficos é a tendência deste mercado, se apresenta crescimento, estagnação ou queda.

Após uma análise gráfica para entender o cenário geral, agrupar as principais palavras-chave por similaridade e avaliar quais concorrentes se posicionam por ela, e através de quais estratégias de conteúdo. Esta análise não precisa ser tão profunda nesta etapa, pois trata-se apenas de um mapeamento do mercado.

Análise SWOT

Somente levantar dados não traz nenhuma resposta. É preciso analisar e classificar, para definir o que é bom, o que é ruim, e como devemos atuar.

A análise SWOT é usada há décadas nos estudos de marketing e agrupa, em uma matriz, quais são as forças e fraquezas do negócio, e quais as oportunidades e ameaças que o mercado apresenta.

No diagnóstico de SEO também consolidamos uma matriz SWOT classificando o que identificamos no cenário interno como positivo ou negativo, para classificar como ponto forte ou ponto fraco da empresa neste mercado.

Já na análise do mercado externo, como as análises de concorrência e de demanda, também precisam ser classificadas em positivas ou negativas, neste caso do ponto de vista na marca analisada, para nos mostrar quais fatores representam oportunidades, e neste caso devemos nos organizar para aproveitá-las, e quais representam ameaças, das quais precisamos nos proteger.

Como se destacar neste mercado

Umas das perguntas que procuramos responder ao final do estudo, afinal este é o objetivo de um projeto de SEO, se destacar nos resultados orgânicos no mercado em que a marca atua.

Após toda a análise realizada e tendo em mãos as forças e fraquezas da empresa, e oportunidades e ameaças do ambiente, fica muito prático planejar e priorizar as principais ações do projeto de SEO.

Novamente voltamos a abrir o projeto nos três principais pilares (tecnologia, conteúdo e reputação), e podemos definir, de forma macro, quais esforços serão necessários em cada pilar.

Conclusão

Este estudo de presença orgânica é necessário para orientar as ações do Projeto de SEO de forma mais eficaz, entendendo o que precisa realmente ser feito e priorizando os esforços para tal.

Do contrário, basear um projeto em “achismo” ou boas práticas genéricas pode não surtir efeito, afinal você não sabe o que é importante para os usuários, e o quanto os concorrentes já atendem à estas demandas.

Permite também orientar os esforços sob o princípio de Pareto, focando nos menores esforços (mais rápidos e/ou mais baratos) que tendem a retornar os melhores resultados.

Além de um mapeamento importante para quem executa o trabalho de SEO, apresentar um diagnóstico de presença orgânica para o cliente é mais uma forma concreta de mostrar que SEO não é simples, não se trata apenas de ajustes em meta tags, e não tem atalho.

SEO é marketing!