Blog Lume

Ferramentas essenciais para quem trabalha com SEO

Artigo publicado em 18/03 no portal E-commerce Brasil.

Não existe receita de bolo quando falamos de estratégias de SEO. Isso porque cada mercado e tipo de negócio possui um público específico e muitas variáveis que devem ser consideradas. Porém, é inquestionável que uma boa estratégia exige muito estudo, pesquisa, cruzamento de dados e, acima de tudo, um olhar analítico e focado nos objetivos que foram definidos no início do projeto.

Afinal, é a partir da meta que os esforços são definidos: conquistar um bom posicionamento orgânico nas páginas de resultados do Google? Estar na primeira posição? Ganhar mais notoriedade no mercado? Tornar a sua marca mais conhecida? Aumentar as vendas?

São muitos detalhes que precisam ser observados para que uma estratégia de SEO atinja os objetivos esperados. E saber para onde se quer ir é tão importante quanto entender como chegar lá.

A gente sabe que fazer SEO não é tão simples quanto parece e envolve ações focadas nos seus três pilares. São eles:

  • Conteúdo:  é o pilar central da estratégia e, na maioria dos casos, o ponto de partida para um projeto de SEO. Aqui é necessário entender quais as palavras-chave que envolvem o negócio e para quais você deseja se posicionar. E vai muito além disso, na verdade: aqui é preciso entender a intenção de busca do público-alvo, as principais dúvidas dos consumidores, entre outros dados.
  • Reputação: esse é um pilar construído em consequência das páginas que linkam para o seu site. Ou seja: depende totalmente do relacionamento com o mercado, afinal, para que isso aconteça você precisa ter um conteúdo diferenciado e inovador. Essa talvez seja a etapa mais complexa dentro de SEO.
  • Tecnologia: o Google é um mecanismo de busca automatizado e que funciona por meio de robôs e algoritmos. Por isso, o pilar de Tecnologia é tão importante quanto os outros dois mencionados acima. Se a estrutura técnica do seu site não estiver de acordo com as boas práticas, ajudando suas páginas a serem encontradas e terem seu conteúdo compreendido pelos robôs, as suas estratégias de conteúdo e reputação não valerão de nada.

Hoje em dia, existem muitas ferramentas que podem ajudar os profissionais que trabalham com SEO a construírem uma estratégia com base em dados e informações diversas e, consequentemente, alinhadas aos três pilares de SEO e, principalmente, à realidade de um e-commerce.

Abaixo, confira as cinco ferramentas indispensáveis para quem trabalha com SEO:

  • Google Search Console (GSC): é uma ferramenta própria do Google e que mostra dados relevantes tanto para os pilares de Tecnologia, como para Conteúdo. Com o GSC é possível ter uma visão precisa sobre posicionamento do site, impressões e cliques, URLs indexadas, excluídas ou que possuem erro, além de um relatório completo com insights sobre as Core Web Vitals e a experiência de página como um todo, entre outras informações. Aqui na Lume nós diríamos que é praticamente impossível fazer SEO sem essa ferramenta.
  • SEMrush: é um conjunto de ferramentas focado em marketing de busca. Mais avançado que o GSC, é ótimo para os três pilares: Tecnologia, Conteúdo e Reputação. Com o SEMrush você tem a visão geral de um domínio, sendo possível fazer auditorias de backlinks, auditorias técnicas, além de pesquisas competitivas, observando o cenário interno e externo dos clientes e de palavras-chave, além de poder analisar também os concorrentes. A ferramenta possui ótimas alternativas de funcionalidades para a captação de dados sobre tendências de conteúdos. 
  • Screaming Frog: basicamente, essa ferramenta consegue fazer o mesmo processo que o robô do Google faz dentro de um site. Com ela, é possível entender toda a estrutura de um site e compreender como o Google enxerga as páginas. As suas funcionalidades envolvem a consulta de elementos de página, títulos, headings, funcionamento de tags, análise de links internos e externos, bloqueio de página e tipos de conteúdos encontrados (HTML, JavaScript, PDF, entre outros). Munido de todas essas informações, é possível traçar alternativas para melhorar a experiência do usuário dentro das páginas. 
  • Google Pagespeed: o foco aqui é a performance do site. Ou seja: tempo de carregamento, usabilidade e as métricas Core Web Vitals. A ferramenta consegue apontar, por exemplo, se há o uso excessivo de arquivos em JavaScript (o que pode deixar o carregamento de página mais lento). Após os updates de algoritmo de 2021, essa análise se tornou ainda mais importante.
  • Google Analytics: muito provavelmente essa seja a ferramenta mais famosa entre os profissionais que trabalham com Marketing Digital. Depois de criar uma estratégia e colocá-la em prática, é necessário analisar os resultados com base em dados. E o Google Analytics é feito exatamente para isso! Com ele você tem acesso a diversas informações como: taxa de rejeição, número de cliques, impressões, perfil e jornada dos usuários, picos de acessos, páginas mais acessadas, tempo de permanência nas páginas, origem do tráfego e muito mais. O GA permite fazer recortes de períodos conforme a sua necessidade: dia, mês, ano ou qualquer outro período que você deseje analisar.

Em resumo, fazendo o bom uso dessas ferramentas e conseguindo extrair o melhor delas, com certeza a sua estratégia de SEO irá gerar impactos positivos no negócio online. É claro que você precisa ficar de olho nos dados e, principalmente, nas constantes atualizações do Google para sempre fazer os ajustes necessários antes de notar possíveis perdas nos resultados orgânicos.

E aqui vale ressaltar que o Google está mudando quase que diariamente a sua forma de ver as páginas. Costumamos dizer que, mais do que nunca, para agradar o Google você precisa agradar o usuário

Páginas com carregamento rápido, conteúdo relevante, inovador e atrativo e que gerem uma ótima experiência de navegação com certeza já estão com uma grande vantagem para conquistar um melhor posicionamento nas páginas de resultado e, quem sabe, a tão sonhada primeira posição no Google

Veja também

crossmenu